teto-maximo-inss

Como se aposentar com o teto máximo do INSS?

Aposentar no teto máximo do INSS é realmente um sonho para qualquer trabalhador. Quem não quer hoje, 2017, estar ganhando todo mês uma quantia fixa de R$5.531,31? Realmente isto poderia resolver a vida de muitas pessoas.

O grande problema é que este valor do teto máximo do INSS é ilusório, pois nem se você contribuir a vida inteira pagando o teto máximo do INSS, você não vai conseguir se aposentar com ele.

Deixa-me explicar isto matematicamente:

Digamos que um homem chamado Joaquim começou a trabalhar na empresa “XYZ LTDA” com 20 anos de idade em 01/01/1982. Lá, Joaquim permanece até hoje e detalhe, desde os 20 anos de idade Joaquim pagava o teto máximo do INSS, ou seja, 35 anos pagando o máximo possível.

Joaquim hoje tem 55 anos de idade e 35 anos de tempo de contribuição, ou seja, já pode requerer a aposentadoria por tempo de contribuição no INSS.

Chegando ao INSS ele descobre que existe o bendito do fator previdenciário. O fator irá corroer nada mais nada menos do que 31% da sua aposentadoria.

Por mais que Joaquim tenha pago por 35 anos o teto máximo do INSS, hoje ele iria se aposentar no máximo com R$3.816,60.

Você pode estar se perguntando: mas se eu não quiser me aposentar agora e esperar até conseguir chegar no teto máximo do INSS?

Bingo, é exatamente isto que o INSS quer que você faça.

Você realmente pode alcançar o teto máximo do INSS desta forma, esperando para mais tarde se aposentar e conseguir o tão sonhado valor máximo do INSS.

Vamos fazer uma conta matemática novamente para analisar se realmente vale a pena?

Joaquim decide não se aposentar hoje com 55 anos de idade e continua trabalhando na empresa “XYZ LTDA” contribuindo com o teto máximo do INSS.

Todo ano Joaquim vai ao INSS para saber se já consegue se aposentar como desejava e só aos 61 anos descobre que finalmente alcançou os requisitos mínimos para conseguir se aposentar no teto máximo em 01/01/2023 com 41 anos de tempo de contribuição.

Usando hipoteticamente reajustes monetários médios dos últimos 10 anos, podemos chegar a reajustes anuais de 6% ao ano no teto do INSS. Ou seja, em 2018 o teto do INSS foi de R$5.863,19; em 2019 R$6.214,98; em 2020 R$6.587,88; em 2021 R$6.983,15; em 2022 R$7.402,14; e em 2023 R$7.846,27.

Joaquim em 01/01/2023 se aposentadoria com R$7.846,27, teto máximo do INSS e poderia parar de trabalhar curtindo sua velhice.

Note que Joaquim ficou mais 6 anos trabalhando e contribuindo pro INSS sem receber nada em troca.

teto maximo inss

Vamos calcular como estaria as condições financeiras de Joaquim se tivesse se aposentado em 01/01/2017?

Joaquim se aposenta em 01/01/2017 com o valor de R$3.816,60 e resolve colocar este dinheiro na poupança todo mês, pois na verdade pretende parar de trabalhar somente em 01/01/2023.

Todo ano o valor que Joaquim se aposentou também é reajustado anualmente. Vamos usar os mesmos 6% ao ano como no exemplo anterior. Em 2018 após o reajuste Joaquim passou a receber R$4.045,60; em 2019 R$4.288,33; em 2020 4.545,63; em 2021 R$4.818,37; em 2022 R$5.107,47; e em 2023 R$5.413,92.

O INSS vai pagar em 01/01/2023 R$5.413,92 de aposentadoria a Joaquim, havendo uma diferença de R$2.432,35 do teto máximo do INSS.

Lembra que Joaquim depositou todo mês o dinheiro que recebia de aposentadoria, porque pretendia parar de trabalhar somente em 01/01/2023? Então, Joaquim depositou na poupança 78 vezes sua aposentadoria (cada ano teria depositado 13 vezes, pois existe o 13º salário), com reajustes mensais de 0,62% (de acordo com o site do Banco Central do Brasil).

Ao fazermos todos os cálculos do quanto Joaquim guardou na poupança, chegamos a um total de R$440,000,9, gerando nada mais nada menos do que R$2.728,00 por mês só de juros.

Ou seja, Joaquim se aposentará no dia 01/01/2023 mensalmente com R$5.413,92 pago pelo INSS e R$2.728,00 pago de juros da poupança, totalizando R$8.141,92 ou seja, R$295,65 a mais que o teto máximo do INSS.

Vale ressaltar que fizemos estes cálculos com base na poupança, considerada o pior investimento do Brasil. Atualmente conseguimos facilmente pagamento de juros de 0,9% ao mês.

A título de curiosidade, se Joaquim tivesse investido com juros de 0,9% ao mês, teria se aposentado com R$5.413,92 pago pelo INSS e R$4.439,22 pago de juros, totalizando uma aposentadoria de R$9.853,14, bem superior ao teto máximo do INSS.

Conclusão…

Como podemos notar, é MUITO difícil se aposentar com o teto máximo do INSS, apesar de não ser impossível, conforme demonstramos.

No exemplo que citamos acima, concluímos que não vale a pena esperarmos mais tempo para conseguir aumentar o valor da aposentadoria e quem sabe chegar no teto máximo. No exemplo citado Joaquim poderia ter perdido muito dinheiro caso não tivesse feito um bom planejamento de aposentadoria antes de tomar suas decisões.

Temos casos reais de cliente que aguardou mais de 10 anos para tentar chegar no teto máximo do INSS, imagine a quanto essa pessoa perdeu de dinheiro…

Vale ressaltar que dependendo do caso é mais viável sim esperar para se aposentar melhor, infelizmente não temos como dar uma fórmula mágica para todos os casos.

Por isso em nosso site insistimos tanto que TODOS devem fazer um planejamento de aposentadoria, pois só assim o seu caso vai ser analisado individualmente, lhe dando um direção correta a seguir para uma velhice muito mais saudável financeiramente.

Caso tenha interesse, entre em contato para fazer o seu planejamento de aposentadoria. O custo para isto é insignificante comparado com os benefícios financeiros que você terá no futuro.

 

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER

30 comentários sobre “Como se aposentar com o teto máximo do INSS?

    • No exemplo apresentado do Joaquim, entendo ter havido um equívoco, considerando 55 anos de idade e 35 anos de contribuição, ele não precisa ficar mais 6 anos contribui
      n do e sim aproximadamente 03 anos pois a idade e tempo de contribuição somam se. Ou seja 58 de idade mais 38 de contribuição = ao tempo necessário para aposentar

      • Sim aparecido, também é possível desta forma.
        Existem várias formas de se aposentar, este foi apenas um exemplo.
        Por isso, o ideal, é fazer um planejamento da aposentadoria antes de se aposentar, para descobrir o melhor momento.

  1. Tenho 63 anos e dez meses de idade e 33 anos e cinco meses de contribuição. Pergunto: levaria o teto máximo d aposentadoria?

    • Boa tarde Sra. Angela.

      É complicado eu afirmar algo para você sem fazer uma análise detalhada da sua aposentadoria.
      Porém, posso lhe afirmar que é bem difícil chegar no teto máximo do INSS.

      Se quiser algo mais detalhado sobre o assunto, sugiro que consulte nossos parceiros através do link abaixo e faça um cálculo da sua aposentadoria:
      https://advitajai.wixsite.com/lobadvogados

  2. Boa Tarde!!

    Gostaria de saber, qual o calculo que tenho que fazer para saber o valor que vou receber de beneficio, acabei de agendar a minha aposentadoria, completei 30 anos de contribuição dia 3 de agosto e tenho 57 anos, grata

  3. Boa noite.
    Levando em consideração quando Joaquim opta por solicitar a aposentadoria por tempo de contribuição pelo INSS e aplicar na poupança até atingir “o tempo programado” para aposentar..
    Nesse caso o Joaquim pode, depois de sair a aposentadoria, continuar trabalhando na mesma empresa e “acumulando dois salários” (o da aposentadoria + a remuneração mensal por continuar trabalhando na empresa)? Ou ele será “compulsoriamente” desvinculado dessa empresa e se quiser continuar trabalhando terá que procurar uma nova empresa para trabalhar?
    Eu digo isso porque trabalho na área da enfermagem (li também sua matéria sobre a aposentadoria especial de 25 anos!) e meu vinculo é com o Estado (por concurso público), mas no regime CLT (pelo INSS). E se isso for possível irei me aposentar “imediatamente” apos completar 25 anos de contribuição, mas continuar a trabalhar no mesmo hospital.
    Desde já agradeço o espaço reservado para retirar duvidas!
    Atenciosamente,
    Rafael.

    • Boa noite Rafael, tudo bem com você? Espero que sim.
      Este é um caso um pouco delicado, deixe eu explicar para você.
      A legislação entende que se você se aposentar especial, como é o seu caso, você não pode mais trabalhar na área que deu origem a esta aposentadoria.
      Ou seja, você não poderia mais trabalhar como enfermeiro, logo, seria exonerado.
      Porém, o entendimento dos tribunais é que você pode sim continuar trabalhando no mesmo lugar que deu origem a aposentadoria especial.
      Então, pode acontecer de o INSS comunicar o órgão que você trabalhe a respeito da concessão da aposentadoria e o órgão vir a exonerar você. Mas judicialmente você consegue reverter isto de certa forma facilmente.
      Só fique atento, pois você provavelmente enfrentará uma batalha após se aposentar, mas acredito que sairá vitorioso.
      Este é o pior cenário possível. Pode acontecer de o INSS somente aposentar você e ficar por isso mesmo, ou seja, você estará aposentado e trabalhando normalmente.
      O fato de ser servidor público não influencia, pois nada impede você se aposentar e continuar trabalhando, mesmo que seja na área pública.

      • Muito obrigado por sua explicação!
        Eu só tenho mais uma pergunta a respeito da sua resposta.. Quando diz “você estará aposentado e trabalhando normalmente”. No meu cenário, isso significa que eu terei “duas rendas simultâneas”, sendo que uma delas será da aposentadoria e a outra proveniente do órgão público!?
        Atenciosamente,
        Rafael.

        • Isso.
          Já trabalhei em um órgão estadual em Santa Catarina, lá existia várias pessoas aposentadas e trabalhando.
          Elas recebiam o salário do órgão e também a aposentadoria do INSS.
          O caso deles é similar ao seu, porém no seu caso existe esta peculiaridade de se aposentar especial, que terá este problema que lhe expliquei.

  4. Boa Noite!
    Sempre contribui pelo teto do INSS. Tenho 55 anos de idade e 30 anos de contribuição. Simulei a minha aposentadoria na página do INSS e, pela simulação, não terei direito a receber o teto. pode me explicar?

    • Infelizmente contribuir no teto máximo do INSS a vida inteira não vai lhe dar uma aposentadoria do teto do INSS.
      É absurdo isso, mas é a pura verdade.
      Existem alguns índices de correção monetária adotados pelos INSS que acabam diminuindo o valor da sua contribuição no passado, entre outros fatores.
      Sem contar que o simulador do INSS não é muito confiável. Tanto é verdade que nenhum advogado usa esse simulador para fazer os cálculos de aposentadoria, praticamente todos compram sistemas para fazer o cálculos real da aposentadoria.
      Caso queira um cálculo mais certo da sua aposentadoria, sugiro que você consulte nossos serviços através do link abaixo:
      http://aposentadoriaja.com.br/calcular-aposentadoria

  5. Boa noite, recebi ontem o aviso da minha concessão de aposentadoria por tempo de serviço, onde contribui 35 anos , sendo que tenho 62 anos de idade. Sempre contribui com o teto e recebi no comunicado que o valor da concessão foi de R$ 5.120,00. ou seja R$ 411,00 a menos aproximadamente do valor do teto atual para 2017. Estaria correto o valor da concessão? obrigado

    • Boa noite Sr. Carlos
      Sinceramente, o Senhor se aposentou muito bem.
      Infelizmente é matematicamente impossível se aposentar com o teto máximo do INSS.
      Única forma de se obter isto é com o fator previdenciária positivo, e isto é bem complicado de se conseguir.
      Mas fique feliz, você conseguiu uma ótima aposentadoria.

  6. Bom dia. Uma pessoa do sexo masculino e que nunca contribuiu ao INSS decide contribuir pela primeira vez aos 50 anos o valor “teto” até completar 65 anos de idade, essa pessoa conseguiria se aposentar no “teto”?

    • Não Gustavo.
      Isso ocorre pelo fator redutor chamado “coeficiente”.
      Quando você atinge os 65 anos de idade, poderá se aposentador por idade sem fator previdenciário.
      Mas a lei nos trás que a aposentadoria por idade será de 70% do seu salário benefício, ou seja, se você contribui no teto, irá se aposentador com 70% dele no mínimo.
      A lei ainda fala que esse coeficiente será aumentado em 1% para cada ano que você contribuiu. No seu caso serão 15 anos de tempo de contribuição, ou seja, 15% de tempo de contribuição, mais 70% que é o coeficiente mínimo, chegando a possibilidade de se aposentar no máximo com 85% do teto do INSS.
      Espero ter ajudado.

  7. Boa Noite! No exemplo do texto foi colocado a possibilidade de um juros maior na poupança, no entanto, esqueceu de descontar ao longo dos próximos anos de aposentado a inflação. Se viver com esse juros sem se preocupar com a bendita o seu montante principal será corroído por ela .

  8. Boa tarde!
    O meu caso é idêntico do exemplo do Joaquim. Em 3 de maio de 2018 estou fiz 35 anos de empresa, sempre com teto máximo e 55 anos de idades. Tenho intenção de aposentar agora, mas tenho duas dúvidas.
    a) no exemplo o Joaquim teve que contribuir por mais 6 anos. Não seriam mais 4 anos, sendo favorecido pela lei 85/95?
    b) se daqui um ano for aprovada a reforma da previdência, eu teria cerca de 87% de aumento. Neste caso eu sairia perdendo?
    Aguardo as duas respostas. Grato

    • Boa tarde Marcelo.
      No caso hipotético tratado não foi aplicado a regra 85/95, mas a ideia era somente explicar o quão ruim que pode ser caso você opte por aguardar se aposentar.
      Infelizmente não tenho como opinar sobre a reforma previdenciária, em nosso site não houve mais postagem a respeito disto justamente pelo fato de causas falsas expectativas.
      Temos que ver como vai ficar a reforma, se é que ela vai acontecer.
      Trabalhe com a legislação atual, caso tenho uma reforma terá que ter regras de transições e direitos adquiridos serão mantidos, então não se preocupe tanto.

  9. Boa tarde!

    Tenho 61 anos , contribuir 1986 a 2016, com teto máximo. 2017 venho contribuindo com
    o minimo até hoje e pretendo contribuir até completar o tempo de contribuição. Pergunto:
    vai comprometer nos caculo para aposentar no teto máximo.

    • Boa tarde Zozimo.
      É um pouco perigoso você fazer isto sem um planejamento da aposentadoria, pois pode acabar prejudicando no futuro.
      Para você saber exatamente se você prejudicar ou não, preencha nosso formulário de planejamento.
      https://goo.gl/forms/S6tttqOkdocWhEVy2
      Após o preenchimento, um dos nossos advogados parceiros entrará em contato com você.

  10. Boa noite..
    O caso hipotético citado evidencia muito bem as possibilidades, mas realmente ficou faltando inserir na conta a questão do imposto de renda mensal. É fundamental considerar esse ponto.
    Se o “Joaquim” vai se aposentar por tempo de contribuição e continuar na empresa, essa parcela mensal será somada ao seu salário aumentando assim o valor do imposto pago.
    Esse valor a mais que será pago de imposto deveria ser descontado da poupança que será nutrida com os pagamentos mensais da aposentadoria.
    Dessa forma sim, teríamos uma noção bem mais real da situação e talvez (pois não fiz ainda a conta..), seja mais vantajoso aguardar o teto máximo do INSS para poder se aposentar.

  11. Boa tarde!
    Recebi a Carta de Concessão para começar a receber os benefícios da aposentadoria, mas não desejo me aposentar agora. O que devo fazer?

    Grato e aguardo
    Marcelo

  12. Gostaria de saber sobre regra do teto
    Posso pagar o mínimo pra depois pagar o teto máximo ?
    Uma pessoa tem 9 anos contribuído com o mínimo….em que momento já pode pagar o teto máximo?
    Existe o cálculo da média dos 80% das últimas contribuições ou o governo tirou essa regra?
    Eu vou desejo pagar pra essa pessoa o teto máximo…somos jovens ainda
    Vale a pena fazer isso ou juntar na poupança ?

    • Existe esta situação dos 80% maiores contribuições ainda sim, esta é a base de cálculos da aposentadoria.
      Olha Jario, sinceramente, se houvesse opção de pagar ou não a previdência do INSS, eu diria para não contribuir.
      Única vantagem clara do INSS é somente os benefícios por incapacidade, ou seja, auxílio-doença e aposentadoria por invalidez.
      Pois qualquer investimento você fizer, pagando o valor que é pago para INSS, terá sim uma aposentadoria melhor.

  13. prezados,

    vou morar (e trabalhar) fora do Brasil a partir de novembro. Quero continuar contribuindo individualmente ao INSS aqui no Brasil, como contribuinte voluntário, para me aposentar aqui. Tenho 42 anos de idade e cerca de 20 anos de contribuição (seriam 24 anos desde meus 18 anos de idade, mas fiquei períodos sem trabalhar, e sem contribuir tmabém).

    Já me informei que preciso contribuir com 20% do teto máximo hoje (Out/2018) de $5685,15 para pedir o teto máximo da aposentadoria quando chegar a data de me aposentar, daqui a uns 15 anos mais ou menos.

    Pergunto: devo me aposentar assim que for possível? Pelo que entendi, no que eu completar a soma do tempo de contribuição + idade, mesmo eu tendo contribuído no máximo, haverá o fator previdenciário que me cortará uns 30% do teto máximo.

    Aguardo comentários, obirgado

    • Boa tarde Gilson.
      Correto, você tem que contribuir como segurado facultativo pagando 20% sob o valor que queira contribuir (deve ser entre o salário mínimo e o teto máximo do INSS).
      Isso não vai lhe garantir uma aposentadoria com o teto máximo, alias, isso será muito difícil de acontecer.
      Antes de tomar alguma atitude neste sentido, é importante que você faça um planejamento da sua aposentadoria.
      Assim você vai evitar de “jogar dinheiro fora”, se for o caso.
      Caso queira contratar nossos serviços de planejamento, preencha o formulário abaixo que retornaremos seu contato:
      http://aposentadoriaja.com.br/planejamento-aposentadoria/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

*