como planejar a aposentadoria

Como planejar a aposentadoria

Você deve estar se perguntando: como assim planejar a aposentadoria? Confira até o final desta postagem para entender melhor como funciona um bom planejamento da aposentadoria e seus benefícios.

A maioria dos segurados da Previdência Social se direcionam aos guichês do INSS para saber se podem se aposentar e isto pode acarretar perdas financeiras, conforme será demonstrado.

Para evitar estes e outros problemas, é necessário que o segurado se planeje, ou seja, faça um Planejamento da Aposentadoria, que é um serviço prestado para assegurar que você tenha o melhor benefício possível na sua Aposentadoria e seja concedido no momento certo. Para se aposentar, você precisará cumprir requisitos exigidos pela lei, como idade e tempo de contribuição. Todos estes requisitos exigem um estudo mais aprofundado antes de requerer o benefício, caso contrário poderá sofrer prejuízos financeiros enormes.

 

Quando é recomendado começar a planejar a aposentadoria?

A primeira questão a ser definida é o momento em que se deve pensar em planejar a aposentadoria. A partir dos 40 anos de idade, se homem, e aos 35 anos, se mulher, já é aconselhável que seja feito. Quanto antes o planejamento começar, melhor será o resultado final, pois você desde cedo estará contribuindo com o valor correto (evitando o risco de gastar mais dinheiro que o necessário durante anos) e terá o tempo a seu favor para coletar documentos e provas exigidas para concessão do seu benefício.

Se você ainda não fez seu planejamento, e está em uma idade avançada, ainda há como solucionar diversas questões para que se alcance a melhor aposentadoria.

Como planejar a aposentadoria

Qual é a Vantagem Financeira em um Planejamento Completo de Aposentadoria?

O principal motivo para se realizar um planejamento é a vantagem financeira que ele pode proporcionar. Veja abaixo quais são os possíveis ganhos que poderá ter ao se planejar:

1. Evitar o prejuízo em se aposentar depois do tempo.

Trabalhar mais do que o necessário acarretará em perdas de benefício que, quando acumuladas, somam valores bem alto. É comum encontrar pessoas que trabalham 2 a 3 anos a mais do que seria necessário para se aposentar.

Exemplificando: caso sua aposentadoria seja no valor de R$2.000, estes 3 anos resultariam em R$ 72.000 de benefícios não recebidos.

Imagine em casos, como já presenciado por este escritório, em que o segurado poderia estar aposentado a 10 anos recebendo o teto previdenciário, chegando a perdas de aproximadamente R$400.000,00.

2. Evitar o prejuízo em se aposentar antes do tempo.

Por outro lado, pedir a aposentadoria antes de completar os requisitos vai resultar em perdas financeiras e de tempo. Pois se você solicitar a aposentadoria e ainda não tiver direito a ela, ao fim de todo o procedimento (que geralmente demora vários meses) seu pedido será negado e você não receberá nada.

Exemplificando: em março de 2016 você teria direito a se aposentar; em fevereiro de 2016 (um mês antes de ter o direito) você entra com o requerimento de aposentadoria, pois achava que já teria direito. O processo vem a se encerrar somente em setembro de 2016 negando sua aposentadoria (pois você ainda não tinha direito quando entrou com o pedido). Todo esse período (7 meses) do processo junto ao INSS será todo em vão, não recebendo nada. Se você entrasse com o pedido no mês correto (março) teria ao final recebido sua aposentadoria e recebido todos os atrasados pela demora no processo de aposentadoria, ou seja, receberia os atrasados de março até setembro (6 meses). Se você tivesse direito a uma aposentadoria de R$2.000,00, teria deixado de ganhar esses 6 meses de atrasado, resultando uma perda financeira de R$12.000,00.

Talvez ainda precise arcar com custas processuais ou de manutenção de documentos. O planejamento de aposentadoria lhe dirá a data correta para fazer o pedido, garantindo que você dará entrada no benefício na data correta, evitando vários prejuízos.

3. Contribuir com o valor correto.

Para receber o melhor benefício possível muitas vezes não é necessário recolher valores altos. A média utilizada para calcular o valor da aposentadoria é baseada, a partir de julho de 1994, em 80% dos meses trabalhados, considerando-se somente os maiores salários. Portanto, 20% do período de contribuição (aquele que tiver a remuneração mais baixa) desde julho de 1994 será descartada, não entrará no cálculo para se aposentar . Dessa forma, contribuir no teto máximo durante 100% do período trabalhado é desnecessário. Este é um erro cometido por muitos profissionais autônomos que não fazem planejamento e acabam pagando à previdência um valor maior que deveriam, sem ter nenhum retorno financeiro (na verdade só desperdiça dinheiro). No planejamento da aposentadoria constará o cálculo dessa média, mostrando também o valor correto a se contribuir.

4. A certeza do melhor benefício possível.

A aposentadoria geralmente é o sustento principal de cidadão, consequentemente deve-se ser feito da melhor forma possível para que resulte em uma aposentadoria mais saudável. Fazer um planejamento da aposentadoria é investir na análise específica do seu caso, buscando todos os dados possíveis para sempre conseguir o melhor benefício. Com estas informações, é possível garantir que você terá a melhor condição possível dentro daquilo que cumpriu durante o período em atividade.

 

Quais as informações que constarão em um Planejamento de Aposentadoria?

O planejamento de aposentadoria constará diversas informações referente ao melhor momento de se aposentar, como o valor do benefício, data que deverá ser dado a entrada do requerimento, possíveis erros que conste no INSS referente as contribuições, quadro comparativo do quanto deixará de receber em cada período caso não se aposente e diversas outras informações.

Do Cálculo de tempo de contribuição

No INSS você poderá solicitar um documento chamado CNIS (pronuncia-se “quinis”) ou uma CADSENHA que permitirá ter acesso online ao seu CNIS. Entretanto, é comum que o órgão apresente diversas falhas nesta questão, proporcionando relatórios com períodos não computados ou registrados de maneira equivocada. O planejamento de aposentadoria dará mais precisão ao seu tempo de contribuição, relatando exatamente quanto tempo de atividade você desempenhou e preparando as provas necessárias para buscar corrigir as divergências em relação as informações que constam no INSS.

O planejamento de aposentadoria faz o cálculo, inclusive, de casos mais específicos, como a aposentadoria do professor ou aposentadoria especial, em que a contagem de tempo é feita de maneira diferente da convencional. Como já mencionamos, o objetivo do planejamento é conseguir o melhor benefício analisando cada caso em particular. No caso da aposentadoria especial, é calculada até mesmo a conversão do tempo especial em comum, caso seja vantajoso converter.

Do Cálculo do Valor do Benefício

O planejamento de aposentadoria também contém o Cálculo do Valor do Benefício, no qual você terá uma expectativa de quanto será sua renda de aposentadoria. Nesta etapa, são listados todos os meses que você contribuiu com o INSS, descartados 20% deles (aqueles com o menor salário), e considerados os 80% restantes. Nestes 80% a média é calculada, resultando no valor do benefício.

Porém, este valor poderá sofrer alterações em alguns casos. Se você se aposentar por tempo de contribuição mas com pouca idade, haverá incidência do Fator Previdenciário, diminuindo o valor da aposentadoria consideravelmente. Se você possuir direito à integralidade da aposentadoria (como é o caso de funcionários públicos concursados estatutários, por exemplo), sua aposentadoria será o último salário recebido em atividade, e não a média dos 80%. Se você optar por um planejamento de aposentadoria, não precisa se preocupar em realizar estes cálculos, pois eles já vêm com todos os tipos de aposentadoria que melhor se adeque a sua situação.

Prospecção da Melhor forma de se Aposentar

Após calcular o tempo de contribuição, o valor do benefício e a idade para se aposentar, o planejamento completo de aposentadoria vai apresentar as diferentes maneiras de obter o benefício. Assim, você poderá ter uma clara visão das vantagens e desvantagens de cada uma e escolher a que lhe é mais favorável. Vamos dar um exemplo:

Pedro tem 45 anos de idade, trabalhou durante 15 anos como auxiliar de escritório(sem insalubridade) e 10 anos como enfermeiro (com insalubridade). A aposentadoria por tempo de contribuição exige 35 anos de tempo contributivo (para homens), a aposentadoria por idade exige 65 anos de idade (para homens) e a aposentadoria especial por insalubridade exige 25 anos de atividade com insalubridade (para ambos os sexos). A média dos 80% maiores salários dele é de R$2.500,00. Considerando a idade e os períodos de atividade de Pedro, o planejamento apresentará 3 possibilidades.

a) Optar pela Aposentadoria Especial: Pedro vai trabalhar mais 15 anos com insalubridade e se aposentar aos 60 anos com benefício de R$2.500,00, pois na Aposentadoria Especial não existe incidência de Fator Previdenciário.

b) Optar pela Aposentadoria por Tempo de Contribuição: Pedro converte o tempo insalubre em comum, ganhando acréscimo de 40%. Seus 10 anos insalubres contam como 14 anos comuns. Somados aos outros 15, totaliza 29 anos. Precisará trabalhar por mais 6 anos e se aposentará com 51 anos de idade. Porém, haverá incidência de Fator Previdenciário e ele receberá 60% da média calculada (conforme previsto para a idade de 51 anos na tabela do Fator Previdenciário de 2016). O benefício cairá de R$ 2.500,00 para R$ 1.500,00.

c) Optar pela Aposentadoria por Idade: Pedro vai trabalhar mais 20 anos em atividade sem insalubridade e se aposentará com 65 anos de idade com o benefício de R$ 2.500,00, pois não existe Fator Previdenciário na Aposentadoria por Idade.

São três possibilidades e caberá a Pedro decidir qual é a melhor. Se ele continua atuando com insalubridade, é mais vantajoso optar pela primeira opção. Se ele tem pressa de se aposentar e está disposto a enfrentar o fator previdenciário, optará pela segunda. Se quer o melhor valor possível mas não quer mais atuar em ambiente com insalubridade, escolherá a terceira.

 

Quais os profissionais que realizam este Planejamento de Aposentadoria?

Tanto um contador como um advogado poderão fornecer o serviço de planejamento de aposentadoria. Porém é aconselhado que busca o advogado propriamente dito, visto que o contador geralmente verifica somente valores, e o advogado além de valores também saberá qual legislação correta a ser aplicado em cada caso.

Procure um advogado ESPECIALISTA em direito previdenciário (clique aqui e entre em contato conosco), pois ele tem prática e conhece a legislação de todas as épocas, sabendo o que aplicar em cada fase da vida laboral e buscando os melhores meios de conseguir a aposentadoria. Ele precisará apenas de uma procuração sua e executará todo o trabalho burocrático necessário. Os documentos que forem exigidos para conclusão de cada etapa também serão comunicados pelo advogado.

Ressaltamos mais uma vez: a aposentadoria é o principal benefício que determinará a qualidade de vida destinada para um momento da vida que não mais é possível prover o sustento de outra forma a não ser com a aposentadoria. O conforto e a segurança de ter certeza que ela será obtida da melhor forma possível fazem do planejamento de aposentadoria um recurso indispensável.

 

Quais documentos devo ter em mãos para que um profissional faça meu planejamento?

Isto variará de acordo com a sua vida contributiva, porém abaixo uma lista de documentos que geralmente deverão ser apresentados:

CNIS ou CADSENHA (documento que constará toda sua vida contributiva);

Certidão de Tempo de Contribuição – CTC (necessário quando tratar-se de segurado que já trabalhou na área pública e quer incluir esse tempo no INSS);

Perfil Profissiográfico Previdenciário – PPP (documento necessário para se comprovar a atividade especial, caso tenho trabalho em locais insalubres);

Carteira de Trabalho – CTPS;

Guias de recolhimento do INSS (caso seja autônomo ou segurado facultativo)

Comprovante de prestação de serviço (no caso de autônomos).

Entre outros documentos solicitado pelo profissional.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER

2 comentários sobre “Como planejar a aposentadoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *