aposentadoria do metalurgico

Como funciona a Aposentadoria do Metalúrgico?

A profissão do Metalúrgico, na minha opinião, é uma das profissões mais penosas quanto a exposição a agentes nocivos e a periculosidade por manusear equipamentos perigosos.
Por este motivo, a lei considera este tempo como especial, ou seja, a forma de cômputo de tempo de contribuição é diferente das demais aposentadoria.
Bom, existe diversas funções que abrange esta profissão. De forma a exemplificar, cito abaixo algumas funções exercidas, para assim você se situar se é um metalúrgico ou não (se você exerce funções parecidas com estas, pode se enquadrar com a aposentadoria especial também):
  • Engenheiro Metalúrgico;
  • Ajudante de Metalúrgico;
  • Ferreiro;
  • Ajudante de Ferreiro
  • Soldador;
  • Ajudante de Soldador
  • Técnico em Metalurgia;
  • Lingotador;
  • Ajudante de Lingotador;
  • Fundidor;
  • Ajudante de Fundidor;
  • Funileiro (ou chapeiro);
  • Ourivesaria;
  • Mecânico de Usinagem e Maquinagem;
  • Cutelaria;
  • Entre outros.
Com quanto tempo de trabalho posso me aposentar como Metalúrgico?
A forma mais comum de se aposentar é com a aposentadoria especial, pois aqui o segurado poderá se aposentar com 25 anos de tempo de contribuição (tem que ser 25 anos só de serviço considerado especial, não precisa necessariamente ser Metalúrgico), sendo que esta aposentadoria será dado com valores integrais, não havendo a incidência do temido Fator Previdenciário.
Outra opção é se aposentar por idade, que será de 65 anos de idade, se homem, e 60 anos de idade, se mulher. Neste situação terá que ter no mínimo 15 anos de tempo de contribuição em qualquer função, não necessariamente como metalúrgico.
O que faço com o tempo de contribuição de metalúrgico se não alcancei os 25 anos de contribuição mínimas na função?
Isto é o que mais se vê no dia a dia, pois é muito difícil alguém que consiga trabalhar constantemente 25 anos no mesmo ramo de trabalho penoso como este.
Diante disto, existe uma saída, que é converter o tempo que você tem como segurado Metalúrgico e converter em tempo comum, conforme passo a exemplificar:
João trabalhou 10 anos como Soldador e 21 anos como auxiliar de escritório. Esses 10 anos de Soldador, ao converter para tempo comum, será multiplicado por 1,4, transformando-se em 14 anos de trabalho comum. Logo, ao somarmos estes 14 anos transformados em tempo comum, com os 21 anos de auxiliar de escritório, chegamos a 35 anos de tempo de contribuição. Com estes 35 anos de tempo de contribuição já é possível se aposentar por tempo de contribuição (sofrerá a incidência do fator previdenciário), ou até mesmo tentar encaixar João na nova aposentadoria popularmente conhecida como 85/95 sem a incidência do fator previdenciário.
Este exemplo de João é o mais comum a se fazer nessas situações, que na prática o INSS não o faz, trazendo sérios prejuízos ao segurado.
Já me aposentei, mas não tive a conversão como mencionado anteriormente, o que posso fazer?
Esta situação é mais comum do que você possa imaginar, pois o INSS geralmente não aceita o tempo especial do Metalúrgico, considerando como se tempo de trabalho normal fosse.
A única saída para isto é fazer uma revisão da aposentadoria e recalcular tudo com a incidência do tempo de Metalúrgico.
Essas revisões geralmente aumentam consideravelmente as aposentadorias e geram valores atrasados a ser pagos bem elevados.
Se tiver dúvida a respeito disto, não deixe para amanhã, corra hoje mesmo atrás de um advogado especialista na área previdenciária e faça a revisão, mesmo achando que não tenha direito a nada (na dúvida faça a revisão).
Sofri um acidente que me impossibilita de trabalhar e ainda não tenho tempo para me aposentar, o que eu devo fazer?
Nesta situação, você poderá requerer o auxílio-doença ou até mesmo uma aposentadoria por invalidez, isto irá depender do grau da sua incapacidade. O auxílio-doença será concedido caso sua incapacidade seja total e temporária, já a aposentadoria por invalidez só será concedida caso sua incapacidade seja total e definitiva, isto tudo dependerá de cada caso em específico.
A vantagem destes benefícios é que ele exige tão somente que você tenha feito pelo menos 12 contribuições para o INSS e tenha qualidade de segurado. Há casos que se exige apenas uma 1 única contribuição para o INSS e tenha a qualidade de segurado para que seja concedido esses dois benefícios citados.
Sofri um acidente que me trouxe sequelas, tenho direito a algo?
Esta é uma situação que atinge de mais os Metalúrgicos, visto que geralmente estão de manuseando maquinários perigosos, que qualquer descuidado pode causas até amputações.
Nestas situações em que o segurado se sente com dificuldades de trabalhar em determinado função pelo fato de ter sofrido alguma lesão. Por exemplo podemos citar o fato de a pessoa perder um braço, teoricamente poderia utilizar um dos braços para trabalhar, mas houve uma limitação pela perda de um dos membros, logo poderá ser concedido um benefício chamado auxílio-acidente.
Estas são algumas das peculiaridades da profissão de Metalúrgico, caso ainda reste alguma dúvida entre em contato e fale com um dos nossos advogados.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER

2 comentários sobre “Como funciona a Aposentadoria do Metalúrgico?

  1. Boa tarde,
    Trabalhei em uma metalúrgica por 6 anos e 2 meses,depois trabalhei em outra metalúrgica por 17 anos e 7 meses,
    em um total trabalhado de 23 anos e 9 meses,tenho mais 4 anos de trabalho em uma casa de materiais de construção(Que foi meu primeiro emprego quando ainda era menor de idade),gostaria de saber se tenho direito à aposentadoria e se a última empresa em que trabalhei poderia ter me despedido,sendo que faltam menos de 2 anos para a aposentadoria especial.
    Obs;Completo 47 anos de vida este ano,fico no aguardo de sua resposta.
    Obrigado

    • Boa tarde Sr. Gérson.
      O tempo trabalhado em metalúrgico é considerado como aposentadoria especial. Então, se você tiver 25 anos completos de trabalho especial poderá se aposentar nessa categoria.
      O tempo trabalhado na casa de materiais não entraria como tempo de contribuição, pois não é considerado tempo especial.
      Quanto ao fato de ter sido despedido, você deve consultar o sindicato da sua categoria profissional, pois esta questão de ser demitido prestes a se aposentador depende de convenção coletiva elaborado pelo sindicato. Se nessa convenção coletiva tiver a proibição de demitir, então você pode entrar com uma reclamação trabalhista e exigir que você volte ao posto de trabalho.
      Para saber melhor a situação de sua aposentadoria, é muito recomendado que você faça um planejamento da aposentadoria. Com isto sera´possível analisar perfeitamente quanto tempo falta para sua aposentadoria e possíveis correções que devem ser feito.
      Caso tenha interesse, fizemos este tipo de serviço, entre em contato para conversarmos melhor.
      Espero ter ajudado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *